A Louis Vuitton respondeu ao apelo do Governo francês e iniciou a produção de máscaras não cirúrgicas em cinco oficinas espalhadas por todo o território. No total, a marca de luxo, coqueluche do Grupo LVMH, afirma ter mobilizado centenas de artesãos para dar resposta às necessidades do país e espera doar centenas de milhares de unidades.

A produção está a decorrer nas oficinas de Marsaz, Saint-Donat, Saint-Pourçain, Ducey e de Sainte-Florence, unidade visitada esta semana por Michael Burke, presidente e CEO da Louis Vuitton e onde 22 artesãos estão atualmente a trabalhar na produção de máscaras para combater a propagação da Covid-19 e apoiar os profissionais de saúde que estão na linha da frente no combate contra o vírus.

Michael Burke na oficina da Louis Vuitton © Divulgação

“Enquanto importante maison francesa, a Louis Vuitton compromete-se a produzir tantas máscaras quanto possível, que serão distribuídas na região [de Vendée, no caso da oficina de Sainte-Florence] sem qualquer custo, para proteger aqueles que estão mais expostos. Esta produção é fruto de uma fantástica colaboração com o sector regional de indústria têxtil”, refere Burke em comunicado.

Entre os destinatários estão lares de idosos e centros de dia, instituições onde já se registaram mais de 3.200 mortes causadas pelo novo coronavírus, em todo o país, segundo o balanço da última quarta-feira.

Com o total de vítimas mortais a aproximar-se das 11 mil, o Governo francês admite agora estender a recomendação do uso de máscara a toda a população, de modo a reforçar os esforços de contenção e a diminuir o risco de transmissão do vírus, sobretudo numa fase em que as medidas de confinamento e distanciamento social comecem a ser levantadas.

LVMH, o grande império do luxo, já começou a distribuir álcool gel pelas autoridades francesas

O país prepara-se, assim, para aumentar a capacidade de produção de máscaras. Na semana passada, foram produzidas 3,9 milhões de unidades em solo francês, destinadas aos profissionais de saúde. Esta semana, o volume de produção deverá ser de 6,6 milhões. O objetivo é aumentar a capacidade de produção e estendê-la a máscaras para uso da população. Segundo a AFP, França deverá ser capaz de produzir 15 milhões de mascaras na última semana de abril.

Por estes dias, são várias as marcas de luxo (e não só) que redirecionaram as suas oficinas e ateliers para a produção de máscaras, entre elas, as italianas Prada e Gucci e as francesas Balenciaga e Saint Laurent. Adicionalmente, a própria LVMH iniciou em meados de março a produção de álcool gel usando as fábricas responsáveis por produzir artigos de perfumaria e cosmética para marcas do grupo.