O Conselho da União Europeia (UE) adotou terça-feira duas emendas ao orçamento comunitário para este ano, permitindo libertar fundos para reforçar o combate à pandemia da Covid-19 nos sistemas de saúde.

Os 27 adotaram, por procedimento escrito, um aumento de 3,57 mil milhões de euros na dotação das autorizações, para um total de 172,2 mil milhões, sendo estes compromissos jurídicos para gastos que não têm necessariamente de ser desembolsados no mesmo ano, ou seja, podem ser desembolsados ao longo de vários anos.

A dotação de pagamentos, que têm de ser usados este ano, foi aumentada em 1,6 mil milhões de euros, para um total de 155,2 mil milhões.

A nossa maior prioridade é ajudar os sistemas de saúde nacionais a enfrentarem o surto da Covid-19″, refere o Conselho, em comunicado, acrescentando que as verbas hoje disponibilizadas são destinadas a financiar equipamento médico, a disponibilização de hospitais de campanha e a transferência de pacientes para outros Estados-membros”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já provocou mais de 117 mil mortos e infetou quase 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

O continente europeu, com mais de 962 mil infetados e cerca de 80 mil mortos, é o que regista o maior número de casos, e a Itália é o segundo país do mundo com mais vítimas mortais, contando 20.465 óbitos e mais de 159 mil casos confirmados.

Em Espanha, as autoridades sanitárias apontam 18.056 mortos e mais de 172 mil casos de infeção.

Em Portugal, segundo o balanço feito segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 535 mortos, mais 31 do que no domingo (+6,2%), e 16.934 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 349 (+2,1%).