Harry e Meghan Markle podem ter trocado o Reino Unido pela América do Norte, mas na hora de demonstrar solidariedade, regressaram ao lado de cá do Atlântico. O casal escolheu a Feeding Britain, organização que se dedica a suprir as necessidades alimentares de crianças carenciadas no Reino Unido, para doar 90 mil libras, cerca de 103 mil euros.

O valor doado corresponde ao excedente dos lucros obtidos pela transmissão televisiva do casamento dos duques de Sussex, em maio de 2018. Na altura, os direitos foram concedidos pela BBC. Agora, o valor é doado à Feeding Britain, cujo presidente é Justin Welby, o arcebispo da Cantuária, que celebrou a cerimónia de união na Capela de São Jorge, em Windsor. Por estes dias, o lema da organização é: “Não há lugar para a fome no Reino Unido”.

“O duque e a duquesa falaram recentemente com o arcebispo e ficaram comovidos ao conhecer o trabalho da Feeding Britain no apoio à população durante o surto de Covid-19. Eles têm recordações especialmente boas do dia em que visitaram o supermercado dos cidadãos em Birkenhead [espaço da mesma organização, visitado pelo Sussex em janeiro de 2019], sobretudo da generosidade e compaixão de todos os que lá trabalham para ajudar os outros. Eles estão satisfeitos pelo facto de o dinheiro estar a ser doado a uma causa tão importante”, indicou um porta-voz dos Sussex, citado pelo The Guardian.

Em 2018, foi a BBC a suportar todos os custos da transmissão do casamento. O acordo definiu que este esforço seria compensado pelos direitos de transmissão e pelas posteriores vendas dos conteúdos. Contudo, ficou igualmente estabelecido que, uma percentagem desses lucros seria destinada a uma instituição ou projeto de caridade selecionado por Harry e Meghan.

Atualmente, a Feeding Britain está desenvolver parceiras em Londres e também na Escócia, com o objetivo de intensificar o apoio às famílias. Ao mesmo tempo, está a desenvolver um programa de emergência que providencia refeições quentes ou embaladas a quem mais precisa, através de entregas ao domicílio.