Os habitantes do estado de Nova Iorque, nos EUA, têm de se preparar para um “novo normal”, diz o governador Andrew M. Cuomo. Como conta o The New York Times, o estado mais afetado pelo novo coronvírus no país vai ter de ficar em “shutdown” (encerrado, em português), até 15 de maio. Nova Iorque (incluíndo a cidade com o mesmo nome) tem 12.192 vítimas confirmadas devido à Covid-19.

Governador de Nova Iorque diz que Trump não pode forçar Estados a reabrir

“Será um momento de transformação para a sociedade, e pagámos um preço muito alto por isso”, disse Cuomo. O Governador deixou ainda a questão: “Mas como é que aprendemos as lições para que esta nova normalidade seja uma Nova Iorque melhor?”.

Na mesma conferência de imprensa o político afirmou que as estatística mostram que as medidas implementadas no estado estão a funcionar. Contudo, para começar a pensar numa “reabertura” é preciso haver “cautela”. Recentemente, o estado impôs medidas como o uso de máscaras em público e o distanciamento social de pelo menos um metro e meio entre as pessoas. Estas normas vão entrar em vigor na próxima sexta-feira.

tática de alto nível do estado para conter o vírus – um requisito para as pessoas usarem coberturas faciais em público quando não puderem manter um metro e meio de distanciamento social – entrará em vigor às 20h. na sexta.

Para já, é garantido que a população vai ter de continuar em isolamento social por mais um mês. Nas declarações desta quinta-feira, Cuomo afirmou ainda que os locais de trabalho vão ter de “reimaginar” a forma como operam. Num futuro próximo os negócios “mais essenciais” com pouca probabilidade de infeção vão poder começar a reabrir, mas o político não avança datas.

Apesar desta reimaginação dos negócios, o estado já prevê que o impacto na contas públicas vá ser castrastófico. O presidente da Câmara da cidade de Nova Iorque, disse esta manhã que nos próximos dois anos contam perder receitas de impostos na ordem dos 7,4 mil milhões de dólares (cerca de 6.82 mil milhões de euros).

Nos EUA há 654.343 pessoas infetadas confirmadas. O país já registou um total de 33.490 vítimas devido à Covid-19.