O festival “Cultura com C de Casa”, construído por músicos, atores e outros agentes culturais do concelho de Leiria, propõe uma centena de atuações até final de abril, numa iniciativa nascida da sociedade civil como reação à pandemia da Covid-19.

“Cultura com C de Casa” estreou em 18 de março, como “impulso e reação a um fechar de portas”, explicam Hugo Ferreira e Hugo Alves. A pandemia encerrou todo o setor da cultura e o responsável da Omnichord Records e presidente da Sociedade Artística Musical dos Pousos uniram esforços para criar “uma iniciativa que fosse de todos os agentes culturais de Leiria e para todas as pessoas, principalmente de Leiria”.

Através da página de Facebook Visit Leiria, do município de Leiria, foram transmitidas até quarta-feira à noite 59 performances, desde concertos a aulas de história da arte, passando por workshops de cozinha, histórias para crianças, leituras e oficinas várias.

A programação tem sido marcada pela “abrangência e diversidade”, captando mais de 400 mil visualizações de vídeos e cerca de 25 mil interações.

Hugo Ferreira e Hugo Alves sublinham que o projeto surgiu sem objetivos traçados, mas está a conseguir o pretendido, “chegar ao maior número de agentes culturais e de casas”, obtendo uma aceitação “impressionante”.

Aberto a todos os agentes culturais do concelho de Leiria interessados, o festival ganhou, entretanto, um apoio financeiro atribuído pela autarquia: 12 mil euros para pagar as cem sessões de “Cultura com C de Casa”, a distribuir por quem participa e pela equipa que produz, promove e prepara o festival desde o início, explicam os mentores.

Com três sessões nos dias úteis e à noite aos fins de semana, “Cultura com C de Casa” vai continuar pelo menos até ao final de abril.

“Estamos convictos de que, através do ‘Cultura com C de Casa’, o papel inicial a que este projeto se propôs está a fazer o seu caminho, nestes tempos difíceis”, concluem os dois organizadores.