A chancelar da Alemanha, Angela Merkel, anunciou esta quarta-feira datas para uma reabertura gradual de serviços públicos e estabelecimentos privados, apelando ainda assim à cautela dos alemães durante todo esse processo. Já depois do anúncio de Merkel,  ficou a saber-se nesta quinta-feira de manhã que nas últimas 24 horas subiram em 2.866 os infetados e em 315 as mortes pelo novo coronavírus, tendo a Alemanha  somado assim 3.569 mortes, ultrapassando em termos absolutos a China (3.342, embora essa contagem já levantado dúvidas entre os serviços de informação de países como os EUA e Reino Unido).

“Temos de entender que vamos ter de viver com o vírus enquanto não houver medicação ou vacina”, disse Angela Merkel. Referindo que as medidas anunciadas serão implementadas numa lógica de “passos pequenos”, Angela Merkel referiu: “Temos feito alguns progressos. Mas tenho de sublinhar que que estes progressos são frágeis”.

Uma primeira fase da abertura de estabelecimentos públicos e privados começará já a 20 de abril. A partir dessa data, as lojas que tenham menos de 800 metros quadrados poderão reabrir, desde que limitem a entrada de pessoas de forma a garantir os regulamentos de distanciamento social em vigor.

Depois, a partir de 4 de maio, está programada a reabertura de escolas — sendo dada a prioridade aos alunos finalistas da escola primária e também da escola secundária. Também nessa data, poderão voltar a abrir portas os cabeleireiros e barbeiros.

De resto, há vários tipos de estabelecimentos e atividades que ainda não têm data prevista para a sua retoma. Os bares, restaurantes, centros de dia, teatros e cinemas vão continuar fechados, da mesma maneira que as congregações religiosas serão proibidas até data a anunciar.

Quanto aos eventos com multidões, como os concertos, festivais e jogos em estádios ou pavilhões, a data de retoma ainda é longínqua: 31 de agosto.

Angela Merkel adiantou ainda que as fronteiras continuarão fechadas durante pelo menos mais 20 dias.

Estas decisões foram anunciadas por Angela Merkel após uma reunião com os presidentes das 16 regiões da Alemanha e com um painel de especialistas. Nessa reunião, de acordo com a Deutsche Welle, o representante do Instituto Robert Koch, a autoridade máxima da Alemanha para as doenças infecciosas, referiu que o país já pode ter chegado à fase do planalto — em que o número de contágios parou de subir e pode até estar a caminho de baixar de forma sustentada — mas que, apesar dessa boa notícia, também é verdade que os valores em si são demasiado altos para haver um regresso total à normalidade.

A Alemanha tem por agora 135.383 casos diagnosticados de Covid-19 e um total de 3.850 mortes provocadas por aquela doença.