O presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel Lemos, diz que há utentes de lares a contrair a infeção pelo coronavírus nos hospitais. Em declarações ao Jornal de Notícias, o responsável deu o exemplo de dois utentes que morreram em hospitais e em cujos lares não existia mais nenhum caso de infeção.

Cerca de um terço — aproximadamente 200 — das vítimas mortais da pandemia morreram em lares de idosos. Destes, 34 eram utentes de lares das Santas Casas de Misericórdia, confirmou ainda Manuel Lemos ao Jornal de Notícias.

Manuel Lemos fala de “dois casos de pessoas que morreram nos hospitais”. Depois das mortes, as autoridades de saúde conduziram testes nos lares onde residiam as duas vítimas “e deram todos negativo”. Logo, conclui o responsável, aquelas pessoas “apanharam Covid-19 no hospital”.

Cerca de um terço dos mortos em Portugal eram utentes de lares ou instituições de idosos

Não pode ser de outra maneira“, vinca Manuel Lemos.

O presidente da União das Misericórdias tem denunciado a falta de material de proteção individual nos lares de idosos, que aliada às dificuldades com os recursos humanos tem gerado uma situação dramática nestas instituições, onde vive o principal grupo de risco.

Embora os números exatos não estejam divulgados, uma contabilização atualizada pelo Observador nesta quarta-feira conseguiu confirmar mais de 930 casos de infeção pela Covid-19 em lares portugueses — mas o número real será bastante superior.

Sobre o número de mortes nos lares de idosos, também não há uma contabilização exata, mas a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, confirmou esta semana tratar-se de “cerca de um terço” do número de mortes em Portugal.

Os dados mais recentes, datados de quarta-feira, apontam para a existência de 18.091 casos de Covid-19 confirmados em Portugal. 599 pessoas morreram e 383 pessoas recuperaram da doença.