Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O conflito entre a Cofina e a Prisa por causa do negócio falhado da compra da Media Capital vai ser decidido através de um processo arbitral.

A proposta foi apresentada pela empresa espanhola, dona da TVI, junto da Câmara do Comércio e Indústria Portuguesa. Neste requerimento de arbitragem, a Prisa reclama ficar com o pagamento inicial de dez milhões de euros depositado pela Cofina junto do BPI. E em caso de condenação, exige o “pagamento dos danos que vier a conseguir demonstrar”.

Em causa está a decisão da empresa dona do Correio da Manhã de desistir do negócio de compra da Media Capital depois de ter falhado por pouco o aumento de capital previsto nesta operação, logo nos primeiros dias da crise gerada pelo Covid-19. A Prisa contestou este abandono e ameaçou com consequências legais, tendo optado por recorrer à arbritragem.

Apesar de a Cofina que os pedidos da Prisa “carecem de qualquer fundamento ” irá apresentar a sua resposta no âmbito do referido processo arbitral, reafirmando os argumentos explicitados no seu comunicado publicado no passado dia 20 de março de 2020″.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR