Os condutores europeus revelam uma considerável simpatia pelos SUV, o que na gama mais acessível da Tesla significa favorecer o Model Y em detrimento do Model 3, o actual best-seller da marca. O Y é ligeiramente mais caro (cerca de 5000€) em igualdade de equipamento, motorização e capacidade de bateria, mas é mais comprido, mais volumoso no interior e na mala e com maior capacidade de circular fora-de-estrada. Isto além de exibir o aspecto mais alto e encorpado que tanto agrada aos clientes dos SUV.

A produção do Model Y já arrancou na fábrica de Fremont, na Califórnia, EUA, mas exclusivamente para o mercado local e Canadá. Em breve começará igualmente a ser fabricado na Gigafactory de Xangai, na China, assim que a velocidade de cruzeiro for atingida com o Model 3, mas todos estes Model Y, à semelhança do que acontece com o Model 3, serão destinados ao mercado local e a outros países asiáticos.

A questão é saber quando o SUV chegará à Europa, pois embora o site português da Tesla afirme que as entregas são esperadas para o início de 2021, é altamente improvável que tal aconteça. Mesmo na China, com muita mão-de-obra com poucos direitos, a mando de uma empresa estatal, foi necessário um ano para ir da primeira pedra à produção do primeiro veículo, pelo que na Alemanha 18 meses já seria um bom valor. E o terreno a 40 km de Berlim, onde vai surgir a Gigafactory 4, ainda agora terminou a fase de desmatação.

A informação veio do próprio Elon Musk que, questionado através do Twitter por um seguidor suíço, esclareceu que a chegada do Y ao mercado helvético irá acontecer “dentro de mais ou menos um ano”. O CEO da Tesla acrescentou ainda que “chegará a partir da Giga Berlim”, o que evitará os impostos aos veículos importados dos EUA.

Perante isto, ou Musk deposita muitas esperanças na eficiência germânica, a nível da construção civil, o que nos parece francamente exagerado, ou a Tesla, depois de ter brilhado na China por conseguir antecipar o arranque da produção, corre o risco de regressar às derrapagens de prazos, que a caracterizaram no início do Model 3. O tempo o dirá, e a realidade é que já falta pouco.