A autarquia de Matosinhos vai distribuir máscaras laváveis e reutilizáveis a todos os munícipes no início de maio. Os equipamentos serão entregues nas residências do concelho.

A Câmara Municipal de Matosinhos anunciou esta sexta-feira em comunicado que as máscaras começarão a ser produzidas por um consórcio de unidades de produção do município, mal o processo de certificação esteja concluído, e a autarquia estima que estejam prontas para entrega logo no início de maio, quando se espera que termine o atual estado de emergência.

Num concelho com cerca de 175 mil habitantes, esta medida implica a produção e distribuição de cerca de 200 mil máscaras “numa primeira fase”.

“Quando terminar o confinamento obrigatório e as pessoas retomarem lentamente as suas atividades, vai ser fundamental a proteção individual, nomeadamente o uso de máscaras em locais públicos fechados. Só adotando comportamentos responsáveis e rigorosos vamos conseguir controlar o surto e retomar a normalidade”, referiu Luísa Salgueiro, presidente da autarquia matosinhense, acrescentando que, “a grande preocupação é a segurança das pessoas nesse período de transição”.

As máscaras, que serão entregues em casa dos munícipes, “são compostas por dois tecidos, um com tratamento bactericida e fungicida, e outro com tratamento impermeabilizante”.

Segundo a autarquia, estas máscaras são laváveis e reutilizáveis e todos os componentes estão a aguardar certificação do CITEVE – Centro Tecnológico, sediado em Vila Nova de Famalicão,.

A câmara também pretende entregar um guia de utilização e manutenção das máscaras, assim como um guia com concelhos práticos para o período pós-confinamento.