O responsável máximo pela escuderia de Fórmula 1 da McLaren, Zak Brown, considerou esta sexta-feira “muito provável” que todos os Grandes Prémios que se disputem na Europa esta temporada sejam realizados sem espetadores.

É arriscado dizê-lo, mas o Grande Prémio da Grã-Bretanha vai ser corrido na data prevista, mas sem público. E é muito provável que todas as corridas na Europa sejam à porta fechada“, afirmou Brown ao canal britânico BBC.

As nove primeiras provas do Mundial de Fórmula 1 foram suspensas nas datas previstas, com oito desses Grandes Prémios adiados enquanto que o do Mónaco foi mesmo cancelado.

Brown apontou como uma solução possível a disputa de várias corridas no mesmo cenário e deu como exemplo o circuito inglês de Silverstone.

O patrão da McLaren também se mostrou preocupado com a repercussão económica na Fórmula 1 da crise sanitária provocada pela pandemia de Covid-19: “Está a ser muito difícil. Há poucas receitas, porque não estão a correr. Há transferências dos patrocinadores, mas estes estão agora sob enorme pressão”.

A nível global, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 145 mil mortos e infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 465 mil doentes foram considerados curados.

A Europa é o continente mais afetado, com mais de 94 mil mortos já contabilizados, em mais de um milhão de casos.