Um dos melhores, mais inteligentes e mais ecléticos atores da sua geração, Filipe Duarte deixou, no cinema, um punhado de papéis marcantes pela sua radical diversidade, pelo rigor da composição dramática e pela preocupação de nunca se repetir nem cair na tipificação, desde o do homossexual suicida que reencontra a vontade de viver junto da família de “A Outra Margem”, ao alto quadro público tomado pelo desnorte existencial de “A Vida Invisível” , passando pelo desempregado à beira do colapso pessoal e familiar de “Entre os Dedos”. Sem esquecer o seu mais destacado trabalho televisivo, no protagonista da série “Equador”.

Morreu o ator Filipe Duarte

“A Outra Margem”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.