A GNR vai ajudar na segunda-feira a instituição de solidariedade Abrigo Seguro a distribuir bens alimentares a pessoas de Avintes, Vila Nova de Gaia, com mais de 70 anos ou doença crónica, disseram esta sexta-feira fontes envolvidas na iniciativa.

A disponibilidade deixada pela GNR para colaborar no porta a porta surgiu após a Abrigo Seguro decidir que, face à pandemia do novo coronavírus, deveria entregar ao domicílio ajuda alimentar a parte das 600 pessoas que habitualmente recolhem um cabaz na sede da instituição.

Segundo a dirigente da Abrigo Seguro Débora Prazeres, a instituição faz duas distribuições mensais de bens alimentares, uma das quais enquadrada no Programa Operacional de Apoio às Pessoas mais Carenciadas (PO-APMC) e abrangendo 280 pessoas das freguesias de Avintes e Oliveira do Douro.

Débora Prazeres acrescentou que a segunda distribuição, também mensal, em que a Abrigo Seguro atua enquanto mediadora do Banco Alimentar Contra a Fome, beneficia cerca de 350 pessoas, repartidas por 90 agregados familiares, neste caso apenas da freguesia de Avintes.

A distribuição de abril no âmbito do PO-APMC fez-se na quarta e na quinta-feira e a outra iniciou-se esta sexta-feira, completando-se na segunda-feira, com a ajuda a GNR de Vila Nova de Gaia, confirmou o comandante Destacamento daquela força, capitão Luís Paulino.

Débora Prazeres explicou que a entrega domiciliária de segunda-feira foi decidida no âmbito do plano de contingência da instituição, abrange uma em cada três famílias beneficiárias, mantendo-se para as restantes a recolha do cabaz nas instalações da instituição, uma escola primária desativada.

Fundada em 2006, a Abrigo Seguro “nasceu da vontade de trabalhar principalmente com crianças em situação de carência socioeconómica e que evidenciassem situações de insucesso, absentismo ou abandono escolares”.

Nesse âmbito, mantém um Centro Ocupacional da Juventude, destinado a ocupar os tempos livres dos mais novos “de uma forma frutífera”.

“Percebendo que era necessário suprir outras necessidades para que estas ações surtissem efeito nas crianças e jovens”, a Abrigo Seguro avançou para o apoio aos agregados familiares, “nomeadamente com o fornecimento de ajuda alimentar e no ao desenvolvimento de competências parentais”.

Funcionando sem apoio “constante” da Segurança Social, apesar de ser uma instituição privada de solidariedade social reconhecida desde o ano da sua fundação, a Abrigo Seguro candidata-se regularmente a “outras linhas de financiamento” e conta com apoio camarário.