A GNR volta a intensificar a partir desta sexta-feira o patrulhamento nas estradas e desenvolver ações de fiscalização e sensibilização junto da população para garantir o cumprimento das normas do estado de emergência devido à Covid-19.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana refere que operação “Fique em Casa II” vai realizar-se em todo o país até segunda-feira e vão estar empenhadas as várias valências da corporação.

Segundo a GNR, o esforço orientado desta operação passa pela verificação do cumprimento do confinamento obrigatório e o apoio aos mais vulneráveis e desfavorecidos no âmbito do estado de emergência que na quinta-feira foi prolongado até ao dia 2 de maio.

Nesse sentido, esta força de segurança vai continuar a promover o programa “65 Longe+Perto”, que passa pelo contacto com a população mais idosa, sobretudo a que vive sozinha e isolada, para prestar esclarecimentos sobre as regras específicas decretadas pelo estado de emergência e procurar sinalizar situações de idosos que devido ao maior isolamento social necessitem de uma abordagem psicológica.

De acordo com a GNR, em caso de necessidade vão ser disponibilizados psicólogos do Centro Clínico da Guarda Nacional Republicana, numa segunda linha de apoio.

“Além da sensibilização para a limitação da circulação na via pública, a Guarda irá garantir o cumprimento das demais normas previstas na lei, zelando para que a população se abstenha de deslocações desnecessárias, as quais poderão potenciar a propagação da epidemia covid-19”, frisa aquela força de segurança.

A GNR relembra que se deve manter o distanciamento social, zelar pelo cumprimento das regras de etiqueta respiratória e lavar bem, frequentemente e demoradamente as mãos com água e sabão (ou solução de base alcoólica), bem como evitar sair de casa, exceto para situações excecionais.

Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia, Portugal regista 657 mortos associados à Covid-19 em 19.022 casos confirmados de infeção.

O decreto presidencial que prolonga até 2 de maio o estado de emergência iniciado em 19 de março prevê a possibilidade de uma “abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais”.