A rainha Isabel II celebrará o seu 94º aniversário na quarta-feira sem salvas de canhão, que considerou “inapropriadas”, quando a covid-19 já causou mais de 14.000 mortes no Reino Unido, informou este sábado fonte do palácio de Buckingham.

Tradicionalmente, a data de aniversário da rainha é assinalada por tiros de canhão disparados em Hyde Park e na Torre de Londres, assim como no Home Park de Windsor, a 40 quilómetros da capital.

“Não haverá salvas de tiros de canhão. Sua majestade desejou que nenhuma medida especial fosse implementada para autorizar os tiros de canhão, pois não considerou isso apropriado nas circunstâncias atuais”, declarou.

A monarca também manterá em sigilo acerca de todas as chamadas telefónicas e de vídeo com a sua família, acrescentou.

O Palácio de Buckingham já tinha anunciado que a tradicional parada militar organizada anualmente em junho para comemorar oficialmente o aniversário da rainha não seria realizado este ano.

Devido à epidemia, Isabel II retirou-se com o marido, o príncipe Filipe, de 98 anos, para o Castelo de Windor, já que ambos fazem parte da população especialmente em risco devido a esta pandemia.

Numa histórica intervenção televisiva transmitida no fim de semana da Páscoa, a rainha apelou aos seus súbditos para terem resiliência, assegurando que “melhores dias virão”, e enfatizou a importância das medidas de confinamento.

A covid-19 já atingiu mais de 114 mil casos de infeção e causou 15.464 mortos no Reino Unido, de acordo com o mais recente balanço.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 154 mil mortos e infetou mais de 2,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 497 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 687 pessoas das 19.685 registadas como infetadas.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.