A Linha de Apoio à Economia Covid-19, constituída para apoiar as empresas em 6,2 mil milhões de euros face à pandemia, registou mais de 16.500 candidaturas em apenas oito horas, revelou hoje a SPGM — Sociedade de Investimento.

Em comunicado enviado às redações, a entidade coordenadora do Sistema Português de Garantia Mútua (SPGM) referiu que a “enorme procura registada” teve lugar entre as 17:30 de sexta-feira e as 01:00 deste sábado, explicando que a submissão de novas candidaturas será retomada na segunda-feira, a partir das 09:00.

“As candidaturas já submetidas poderão ser processadas durante o fim de semana, de forma a posteriormente serem avaliadas e aprovadas dentro dos prazos estipulados”, pode ler-se na nota divulgada.

A Linha de Apoio à Economia Covid-19, que se distribui por quatro linhas de crédito para ajudar micro, pequenas e médias empresas de diferentes setores, começou por ter uma dotação inicial de três mil milhões de euros.

Na sequência de uma decisão da Comissão Europeia, que autorizou o reforço das linhas de crédito com garantia de Estado, foi entretanto alargada para o montante de 6,2 mil milhões de euros.

O valor distribui-se pelas linhas de crédito covid-19 — apoio à atividade económica (4,5 mil milhões), apoio a empresas da restauração e similares (600 milhões), apoio a empresas do turismo (900 milhões) e apoio a agências de viagem, animação turística, organizadores de eventos e similares (200 milhões).

A SPGM — Sociedade de Investimento, S. A., é a entidade coordenadora do Sistema Português de Garantia Mútua que tem por missão prestar garantias financeiras a favor das empresas nacionais.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 154 mil mortos e infetou mais de 2,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 497 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 687 pessoas das 19.685 registadas como infetadas.