A morgue que tinha sido improvisada no centro comercial Palacio de Hielo, em Espanha, vai fechar esta quarta-feira, informou Isabel Díaz Ayuso, presidente da Comunidade de Madrid. Depois de ter sido preparada para receber os corpos que, por falta de capacidade, já não podiam ser enviados para as funerárias, o espaço vai finalmente ser encerrado graças à diminuição no número diário de novos óbitos na região.

Também o hospital de campanha em Ifema, erguido em 48 horas para receber os doentes da Covid-19 que já não cabiam nos hospitais tradicionais, vai ser desmantelado no final de maio. “O Ifema tem de mudar. É um espaço para congressos e exposições e é necessário voltar à normalidade”, justificou a presidente da região, segundo o El Mundo.

De acordo com Isabel Díaz Ayuso, que anunciou as novidades após uma reunião com Pedro Sanchez, 84% dos doentes internados em Ifema (3.150 pessoas no total) já tiveram alta. Ainda há 557 pessoas internadas neste hospital de campanha, oito das quais nos cuidados intensivos.

A decisão de encerrar a morgue no Palacio de Hielo em Madrid e o hospital de campanha em Ifema surge uma semana depois de o governo ter fechado também o Palacio de Hielo de Majadahonda, onde também havia sido improvisado um espaço para receber as vítimas mortais da Covid-19. O encerramento acontece na quarta-feira.

Entre todos os espaços constituídos propositadamente para responder à epidemia de Covid-19 em Espanha, apenas permanecerá aberta a morgue da Ciudad de la Justicia, em Madrid, em funcionamento desde 30 de março. Esta morgue tem 230 câmaras de conservação para as vítimas mortais que não podem ser enviadas para as funerárias.