Para facilitar o processo de personalização, cada peça de um veículo que possa ser alvo de escolha por parte do cliente tem de possuir uma denominação que fique no ouvido, pois caso fosse uma série de algarismos, tipo código, a selecção seria substancialmente menos “sexy”. Isto porque o marketing dos construtores decidiu que, seja através do catálogo ou do configurador online, é mais apelativo optar por uma designação tipo “Lightning Red”, para uma cor de carroçaria, tipo de revestimento interior ou modelo de jante especial, do que pura e simplesmente denominá-la 101.454.398.

Vem isto a propósito da Mini, que para o seu primeiro eléctrico, o Cooper SE, concebeu um conjunto de diferentes jantes especiais, umas mais desportivas e outras mais cool. A uma das mais apelativas – e daí que seja a utilizada nas fotos e vídeos oficiais – foi atribuída a denominação “Corona Spoke”. Sucede que nos dias que correm, é provável que não haja muitos clientes com vontade de instalar no seu carro novo umas jantes que lhe fazem recordar uma pandemia que, até hoje, já infectou 2,5 milhões de pessoas e matou 170 mil.

Em Portugal, as jantes “Corona Spoke” de 17 polegadas ainda figuram no configurador nacional, como se pode ver na galeria. Mas noutros países a marca já anunciou que vai proceder à alteração do nome, substituindo-o por “Power Spoke”. E antes de criticar a Mini por este (óbvio) azar, é bom ter presente que a decisão de baptizar a peça com o termo corona – que significa coroa, em espanhol – foi tomada muitos meses antes do Coronavírus surgir na China e dar origem à pandemia.