Portugal apresentou, em 2019, uma taxa de emprego superior à média da União Europeia (UE 73,1%), com 76,2% das pessoas entre os 20 e os 64 anos empregadas, segundo dados esta terça-feira divulgados pelo Eurostat.

Por outro lado, Portugal ultrapassou, em 2018 (75,4%), a meta nacional de 75% de taxa de emprego fixada na estratégia Europa 2020, integrando o grupo de 17 Estados-membros que já cumpriram os objetivos.

As taxas de emprego mais elevadas, no ano passado, registaram-se na Suécia (82,1%), Alemanha (80,6%), República Checa (80,3%), Estónia (80,2%) e Holanda (80,1%).

A estes cinco países juntam-se Portugal, Irlanda, Croácia, Chipre, Letónia, Lituânia, Hungria, Malta, Polónia, Roménia, Eslováquia e Eslovénia, que também ultrapassaram as metas nacionais fixadas na estratégia Europa 2020.

Face a 2018, a taxa de emprego entre os 20 e os 64 anos aumentou em todos os Estados-membros, em 2019, salvo na Suécia, onde recuou 0,3 pontos percentuais, permanecendo ainda assim no topo da tabela.

As maiores subidas foram assinaladas na Bulgária (2,6 pontos), em Chipre (1,8), na Grécia e em Malta (1,7 pontos cada) e na Croácia (1,5 pontos).

As menores taxas de emprego, por seu lado, foram observadas na Grécia (61,2%), Itália (63,5%), na Croácia (66,7%) e em Espanha (68,0%).