Com alguns retoques estéticos e um espírito desportivo mais apurado, o Hyundai Veloster N está de volta, o coupé sul-coreano que tem duas portas de um lado e apenas uma do outro, assumindo-se como o mais assanhado da marca.

Sabe-se que, em termos mecânicos, a Hyundai continua a confiar no 2.0 turbo com quatro cilindros, similar ao que hoje já usa nos seus modelos N, que debita 250 cv, para noutras versões surgir com 275 cv, desconhecendo-se de momento o nível de potência que a marca vai oferecer. Confirmado está que o Veloster N vai estrear a nova caixa automática de dupla embraiagem, mas agora com oito velocidades (a 8 DCT), para melhor explorar o potencial do motor.

Além do maior número de relações, a 8 DCT passa a adoptar embraiagens húmidas, ou seja, banhadas em óleo, o que não só incrementa a longevidade, especialmente em situações extremas, como torna o modelo mais suave, o que salta à vista nas manobras de estacionamento ou nas passagens de caixa a baixa velocidade. A nova caixa usufrui ainda do N Grin Shift, (NGS) que recorre ao overboost para elevar o torque do motor em cerca de 7%, durante 20 segundos.

O novo Veloster N anuncia 0-100 km/h em 5,6 segundos. Para incrementar a rapidez na aceleração, o coupé está equipado com o N Power Shift (NPS), que é actuado sempre que o condutor pressiona o acelerador em mais de 90%, gerindo da melhor forma a troca de mudanças “a subir”, ou seja, de 1ª para 2ª e seguintes. Visando optimizar o comportamento, o Hyundai possui o N Track Sense Shift (NTS), que avalia a aderência dos pneus da frente – o modelo continua a ter tracção ao eixo dianteiro –, para escolher a mudança e a suavidade (ou rapidez) com que deverá realizar a troca.

O Veloster N monta ainda bancos à frente mais leves (2 kg) e mais desportivos, revestidos em Alcantara, com o lançamento no mercado a estar agendado até final de Abril, mas na Coreia do Sul. Em breve se saberá quando chegará à Europa e, especificamente, a Portugal.