A Toyota decidiu, também ela, fazer-se representar entre os SUV do segmento B, onde a maioria dos construtores já está presente, ou não fosse ele um dos que mais cresce no mercado europeu. O novo modelo, denominado Yaris Cross, herda a plataforma TNGA-B do Yaris, mas apresenta uma maior distância ao solo e um sistema 4×4 elécrico (AWDi) em alternativa à tracção exclusivamente às rodas da frente, que reserva para as versões mais acessíveis. A Toyota promete que o Yaris Cross será versátil, híbrido e que apenas chegará ao mercado europeu em 2021.

O Yaris Cross, que será fabricado em França – onde já nasce o Yaris –, começa por cativar pela estética. Seguindo as linhas da marca nipónica, iniciadas com o Rav4, o B-SUV consegue ser mais atraente e sofisticado, provando que os designers da casa têm apurado a técnica, especialmente depois de o seu CEO ter anunciado que “não queria mais carros aborrecidos”.

Acabou-se: Toyota está farta de fazer carros “sem piada”

Com maior altura ao solo, cavas de roda pronunciadas e protecções em plástico preto um pouco por todo o lado, para lhe reforçar o ar durão que muitos gostam de ver associado aos SUV, o Yaris Cross promete ser um rival à altura dos Renault Captur e Peugeot 2008, os tradicionais líderes dos B-SUV. Isto caso seja proposto por um valor competitivo.

4 fotos

Assente na plataforma do Yaris, o novo modelo tem o caminho aberto para se assumir como um híbrido, recorrendo à mesma mecânica do utilitário japonês. Isto significa que o motor a gasolina é o 1.5 com três cilindros, cuja potência a marca não revela e que funciona segundo o ciclo Atkinson para perseguir um menor consumo, com a Toyota a garantir que a eficiência energética atinge 40%, uma das mais elevadas do mercado. O motor a gasolina está acoplado a uma unidade eléctrica com 80 cv e uma caixa de velocidades que não tem mudanças físicas, mas sim um sistema epicicloidal cuja capacidade de deslizamento é controlada por um segundo motor eléctrico, de que já falámos aqui, por ocasião da revelação do Yaris:

Novo Yaris vai ser mais atraente, espaçoso e económico

Com uma bagageira versátil, por ser mais funda do que o habitual, o Yaris Cross parece conseguir alojar duas bicicletas no seu interior e na vertical, bastando que se retirem as rodas anteriores, o que o torna num companheiro cheio de potencial para incursões pela natureza. Daí que, além da versão com apenas tracção à frente, que deverá ficar reservada aos SUV mais acessíveis, o Yaris Cross vai poder igualmente propor uma versão com tracção integral, denominada AWDi, sendo este um tipo de oferta rara no segmento. O sistema Intelligent All-Wheel Drive faz com que o modelo circule apenas com tracção à frente na maior parte das condições, para depois, quando a aderência é baixa e as rodas anteriores perdem tracção, um sistema eléctrico garantir a necessária motricidade na traseira, prejudicando apenas ligeiramente o peso e o consumo (a versão FWD anuncia 90g de CO2, contra 100g do AWDi). Resta saber se o “ligeiramente” se mantém também no que respeita ao preço.

5 fotos

A Toyota anunciou pretender produzir cerca de 150.000 unidades do B-SUV em 2021, com o volume de vendas do Yaris Cross, juntamente com o do Yaris – os dois veículos produzidos em Valenciennes, França – a representar 33% das vendas totais da marca no continente europeu. Os japoneses esperam ainda conquistar 8% de share no segmento com o seu novo B-SUV.