Utentes e funcionários de três lares de Vendas Novas (Évora) estão a ser alvo de testes de rastreio da Covid-19, depois de terem sido detetados sete colaboradores infetados num deles, disse hoje o presidente da câmara.

Os sete funcionários de um lar desta cidade alentejana cujos testes para despistar a Covid-19 deram positivo, com resultados conhecidos na quarta-feira de manhã, encontram-se “em quarentena profilática, bem como os seus cônjuges, em quarentena preventiva, porque têm de estar em casa”, disse à agência Lusa o autarca Luís Dias.

Perante os sete resultados, articulámos imediatamente com a Saúde Pública para que fossem testados todos os idosos daquela instituição”, que rondam os “cerca de 50”, bem como que fossem repetidos os testes a “alguns resultados inconclusivos” a funcionários, acrescentou.

Indicando que este lar possui à volta de 24 colaboradores, o autarca referiu que as colheitas foram realizadas ainda na quarta-feira à tarde, mas ainda não há resultados.

O alargamento do rastreio a mais dois lares da cidade, quer a funcionários, quer a utentes, foi decidido porque “alguns” dos funcionários infetados “faziam parte do corpo clínico” e tinham tido “contactos com as outras duas instituições“.

O autarca disse que os testes estão a decorrer, até sexta-feira, e espera que “todos sejam testados, quer os idosos, quer os colaboradores, para garantir que está tudo bem”.

Mas, se não estiver, desta forma a câmara pode “ter informação para tomar decisões”, nomeadamente equacionar “a ativação do plano de municipal de emergência para estas situações” ou do “plano distrital para acolhimento de idosos contaminados”.

Em Vendas Novas, temos tudo pronto, em zonas de acolhimento de contaminação para que estas pessoas sejam isoladas, contendo a possibilidade de aumento da pandemia” provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) responsável pela Covid-19, sublinhou.

O presidente da Câmara destacou que, no conjunto destes três lares, os testes abrangem “um universo de 150 pessoas, entre os colaboradores e utentes”, pelo que os resultados ainda não devem ficar prontos esta quinta-feira.

“Esperamos que os testes sejam feitos o mais depressa possível” e, depois, “como é normal”, deverá demorar “entre 24 e 72 horas a ter resultados definitivos, uma vez que é muita gente. Temos que aguardar aqui com alguma paciência, embora estejamos prontos para atuar, caso se verifique o pior cenário”, frisou Luís Dias.

O plano distrital elaborado pela Segurança Social determina que, em caso de contaminação de idosos, “será sempre retirado para isolamento o grupo menor”, de preferência na própria instituição, indicou.

Se não for viável, a câmara criou três espaços de salvaguarda” com “cerca de 70 camas”, uma “segunda linha de resposta com mais 40 camas” e ainda dispõe “de uma zona de acolhimento nacional no Regimento de Artilharia n.º 5”, resumiu Luís Dias.

Os casos em Vendas Novas foram detetados no âmbito do rastreio à covid-19 que está a ser efetuado nas Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) do distrito de Évora, fruto de um protocolo entre a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

No Alentejo, há 181 casos de infeção confirmados e registo de um morto associado à Covid-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal contabiliza 820 mortos associados à Covid-19 em 22.353 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da DGS sobre a pandemia.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 183 mil mortos e infetou mais de 2,6 milhões de pessoas em 193 países e territórios.