Depois de Auto Rádio e 1986 (em parceria com Barnaby Keen), está prestes a chegar Vias de Extinção, o novo trabalho de Benjamim, editado pela Sony Music.

“Finalmente posso partilhar convosco o primeiro single do meu próximo disco que, tal como esta canção, se chama ‘Vias de Extinção’. Estava ansioso por este momento, fico sempre elétrico antes de mostrar música nova e, apesar do contexto difícil, esta vez não foi exceção. Ando a trabalhar neste disco há quase dois anos e sentia que já vos devia música há muito tempo, especialmente àqueles que me têm acompanhado de perto ao longo destes últimos cinco anos”, escreveu o músico esta manhã na sua página no Facebook.

O escritor de canções colocou a guitarra de lado, fez as pazes com o instrumento de sempre, o piano, e com a sua antiga paixão – o velho e pouco fiável sintetizador Roland Jupiter 6. “Benjamim, que também é produtor, ligou a caixa de ritmos ao gravador de cassetes e partiu para a maior aventura sónica da sua discografia, da qual este tema é só mesmo a introdução”, lê-se no comunicado.

Escrito no verão de 2018, este é provavelmente o seu registo mais pessoal, cru e direto, no que diz respeito às letras, escritas num tom quase confessional. O disco começou a ser desenhado no seu estúdio, o Submarino, e gravado nos estúdios Namouche, no início de março.

O vídeo apresentado esta sexta-feira foi realizado pelo músico, a partir de imagens do seu próprio arquivo do telefone, com alguns contributos feitos pela fotógrafa Vera Marmelo e outros emprestados por amigos fechados em quarentena.

“De resto, foi só uma questão de transformar a sala num estúdio de filmagens, usar o telefone da melhor maneira e experimentar com o software de edição que vinha incluído no computador que pediu emprestado”, lê-se na nota de imprensa.