O regime chinês terá tentado pressionar o Governo alemão para fazer comentários positivos sobre a gestão de Pequim da pandemia da Covid-19, afirmou o executivo liderado por Angela Merkel, numa resposta a uma pergunta parlamentar.

O Governo alemão teve conhecimento de “contactos de diplomatas chineses com funcionários alemães com o propósito de conseguir comentários positivos sobre a gestão da pandemia por parte da República Popular da China”, refere a resposta do Governo a uma pergunta de uma deputada, cuja autenticidade foi hoje confirmada pelo Ministério do Interior alemão, depois da sua divulgação no jornal Welt am Sonntag.

Na resposta a uma pergunta da deputada de Os Verdes Margarete Bause, o Governo refere que funcionários do Ministério do Interior foram contactos por diplomatas chineses com esse propósito. O executivo alemão, de acordo com a resposta, não foi atrás da vontade dos diplomatas chineses.

“Do ponto de vista do Governo federal, a transparência tem um papel chave na luta contra a pandemia e deixámos isso claro à República Popular da China”, refere.

Na mesma resposta à deputada, o Governo destaca os esforços de Pequim na luta contra o novo coronavírus e assinala que, dentro de uma relação estratégica, há contactos permanentes com a China em tornos de diversos assuntos, entre eles a pandemia.

A deputada Margarete Bause, em declarações ao Welt am Sonntag, criticou a atitude do executivo alemão diante da China e disse que a resposta do Ministério do Interior mostrava uma vez mais o medo de Berlim a pronunciar-se de forma crítica diante de Pequim.