Um comparativo desta envergadura só é possível montar em Inglaterra, um dos países que acordou logo de início adquirir o caça americano F35 e, simultaneamente, produz os McLaren, uma das mais jovens marcas de superdesportivos que, em poucos anos, ascendeu ao estatuto de rival de fabricantes míticos como a Ferrari ou a Lamborghini.

Quem conseguiu montar o confronto, que envolveu um avião com um preço de 100 milhões de libras (cerca de 114 milhões de euros) e um superdesportivo transaccionado por 2 milhões de libras (2,3 milhões de euros), foi a Top Gear, que reuniu o melhor que há com asas e quatro rodas num aeródromo militar. O “campo de batalha” foi o possível, ou seja, um traçado triangular determinado pelas duas pistas de aterragem concebidas para lidar com as variações na direcção do vento.

O McLaren Speedtail é o modelo mais veloz da história da marca, sendo capaz de atingir 403 km/h, mas não num traçado em que parece sair a menos de 100 km/h de uma curva apertada, para depois ter pela frente uma recta larga, mas relativamente curta, permitindo-lhe atingir 280 km/h.

Já o F35B sente-se muito pouco à vontade numa situação deste género, uma vez que as rectas são demasiado curtas para impor a sua velocidade máxima (que na recta final ainda atinge 550 mph, cerca de 990 km/h), para as curvas apertadas se revelarem uma verdadeira tortura, onde chega a atingir 7G.

Veja o vídeo para ver quem venceu e delicie-se com as imagens de dois dos veículos mais exuberantes dos nossos dias: