A Jaguar Land Rover (JLR) anunciou que pretende retomar a actividade fabril na Europa no próximo mês, começando pelas fábricas de Solihull, no Reino Unido, bem como na Eslováquia e Áustria. Segundo o grupo britânico, o regresso ao trabalho será faseado e terá início a 18 de Maio, ou seja, uma “derrapagem” de quase um mês, face ao originalmente previsto.

Em resposta à crise pandémica, a JLR suspendeu a produção na Europa no final de Março e, na altura, antecipava o regresso ao activo a 20 de Abril, embora tenha frisado que essa previsão poderia ser revista “em função do evoluir das circunstâncias”.  A disseminação do coronavírus obrigou a um período maior de paragem e, mesmo assim, as circunstâncias obrigam a que o reinício da produção se faça gradualmente e sem colocar em risco os trabalhadores. “A saúde e o bem-estar dos funcionários é a nossa prioridade”, ressalta a JLR em nota enviada à imprensa, sublinhando desde já que serão implementadas “medidas rigorosas de distanciamento social em toda a empresa”.

O grupo emprega mais de 260.000 pessoas e possui fábricas no Reino Unido, Áustria e Eslováquia, mas também na Índia, Brasil e China. Esta última está a funcionar desde Fevereiro, sendo de lá que saem os Range Rover Evoque, os Discovery Sport e os Jaguar XEL, XFL e E-PACE para o mercado chinês.

Enquanto estabelece o protocolo que irá ser aplicado na Europa, o grupo inglês mantém-se firme na luta contra a Covid-19. Além dos veículos que cedeu à Cruz Vermelha de diferentes países, a JLR continua a produzir viseiras e a procurar formas de aumentar as unidades fornecidas ao pessoal médico. Reflexo disso é que acaba de adoptar novas ferramentas de moldes por injecção que vão permitir que a produção semanal salte das anteriores 5000 protecções faciais para 14.000.