A República Checa está a enfrentar uma seca “catastrófica”, disse esta quarta-feira o ministro do Ambiente, Richard Brabec, enquanto os especialistas referem a pior situação hidrológica em 500 anos.

“A situação é simplesmente catastrófica”, afirmou Brabec aos jornalistas.

Os níveis do rio, tanto acima como abaixo do solo, permanecem baixos nesta primavera, em comparação com as médias sazonais dos anos anteriores.

“O episódio de seca que o país atravessa desde 2015 é o pior dos últimos 500 anos”, apontou o coletivo especializado Intersucho, que reúne cientistas e especialistas, numa nota publicada nas redes sociais.

Em 2019, a baixa humidade do solo fez com que o crescimento vegetal parasse em 99,5% do território checo, reduziu a produção agrícola e colocou o gado em perigo.

A seca cada vez mais frequente nos últimos anos na República Checa deve-se “à diminuição do volume de precipitação, ao aumento da temperatura média, assim como uma maior evaporação e a uma temporada de vegetação mais longa”, explicou Brabec.

A 12 de maio, o ministro anunciou uma reunião da “coligação nacional da luta contra a seca”, com os representantes das regiões e municípios, com vista a preparar um cenário de crise e garantir o abastecimento de água potável.

Na vizinha Polónia, cujos recursos hídricos são atualmente comparáveis aos do Egito, segundo as autoridades, a seca está a causar pânico entre agricultores e causou recentemente grandes incêndios no Parque Nacional Biebrza, no leste do país.