A Alemanha anunciou esta quinta-feira a proibição completa das atividades do movimento xiita libanês Hezbollah no país, medida exigida pelos Estados Unidos e Israel.

Até agora, apenas as atividades do ramo militar do Hezbollah, considerado um movimento terrorista pelos países da União Europeia, eram proibidas, mas não as do seu ramo político, que organiza manifestações regulares ou ações anti-Israel.

O ministro do Interior, Horst Seehofer, “proibiu hoje [quinta-feira] a atividade da organização terrorista xiita Hezbollah na Alemanha”, disse o porta-voz, Steve Alter, no Twitter.

“Desde o amanhecer, várias ações policiais foram realizadas em várias regiões”, contra estabelecimentos ligados ao movimento, acrescentou o porta-voz.

Nascido em 1982 durante a Guerra Civil Libanesa, o movimento Hezbollah luta contra o estado hebreu e é um importante ator político no Líbano.

Na Alemanha, as autoridades estimam o número dos seus membros em cerca de mil pessoas, muitos deles acusadas pelo Ministério do Interior de organizar reuniões de apoio, recrutar apoiantes para o movimento e organizar manifestações pedindo a destruição de Israel.

Em setembro passado, o ex-embaixador dos EUA na Alemanha e agora conselheiro do Presidente norte-americano, Donald Trump, Richard Grenell, instou a Alemanha a proibir o ativismo político do movimento xiita no território.