O capitão Tom Moore tinha um objetivo humilde, conta a SkyNews: conseguir angariar mil libras para o Sistema Nacional de Saúde britânico e instituições de caridade, dando 100 voltas à sua casa num andarilho como forma de convencer e incentivar as pessoas a fazer os donativos. Mas esta quinta-feira, no dia em que fez 100 anos de idade, o veterano da II Guerra Mundial chegou também aos 30 milhões de libras (cerca de 34 milhões de euros) angariados, como ele próprio anunciou no Twitter.

O dia foi de festa para o novo herói nacional e a lista de surpresas é longa. O seu aniversário foi marcado com um homenagem da Força Aérea Real que sobrevoou a sua casa com dois aviões — um evento que não foi anunciado para evitar que multidões de pessoas aparecessem na sua casa para ver o espetáculo.

No dia do seu aniversário, o capitão Tom Moore recebeu outra prenda: recebeu o título honorário de coronel de um centro de treinos militares por serviços prestados à comunidade — uma nomeação aprovada pela Rainha Isabel II.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O capitão Moore foi também inundado com mais de 14o mil postais de aniversário que estão em exibição na escola de seu neto. Entre os remetentes estão a príncipe Carlos e a sua mulher, Camila, que lhe escreveram para lhe dar os parabéns. Nas redes sociais, estes dois membros da casa real britânica elogiaram os esforços do capitão, acrescentando: “É este tipo de coisas que nos fazem orgulhar de ser britânico, não é?“.

E por falar em família real, a Rainha Isabel II também enviou um postal ao capitão. Esse não está em exposição na escola do neto. Tom Moore publicou até uma fotografia a segurar o postal de aniversário que descreveu como “especial”.

Também o primeiro-ministro Boris Johnson — que acabou de ser pai depois de ter estado internado por Covid-19 — enviou uma mensagem de aniversário em vídeo: “Capitão Tom, sei que falo pelo país inteiro quando digo: ‘Desejamos-lhe um feliz aniversário de 100 anos’. Os seus esforços heroicos elevaram os espírito de toda a nação. Criou um canal para permitir milhões de agradecimentos sinceros aos homens e mulheres notáveis ​​do nosso NHS, que estão a fazer o trabalho mais impressionante”.

“Há uma tradição que remonta há alguns anos, em que o primeiro-ministro dedica um momento todos os dias para agradecer a alguém pelo seu serviço aos outros, reconhecendo-os como um ponto de luz. Capitão Tom, é exatamente isso que você é: um ponto de luz em todas as nossas vidas“, disse ainda.

As expectativas foram claramente superadas e o capitão Tom Moore entrou para livro do Guiness por ter conquistado o valor mais alto angariado por alguém numa caminhada solidária. O recorde foi aliás atingido no dia 24 de abril quando o valor total de donativos era ainda de 27 milhões de libras. Mais: no dia 20 de abril, aos 99 anos de 359 dias, tornou-se a pessoa mais velha a atingir o top britânico devido à sua participação ao lado do cantor Michael Ball, com a canção “You’ll never walk alone”, que se tornou num hino de apoio aos profissionais de saúde.

O agora coronel passou o seu dia na casa da sua filha, onde tem estado isolado, e já reagiu a todas as surpresas que teve. “É extraordinário estar a fazer 100 anos. Estou admirado com o resultado que a minha caminhada teve. A todos que doaram, enviaram cartões de aniversário e mensagens, muito obrigado. Por favor, fique em casa, mantenha-se seguro. Amanhã é um bom dia”, disse.

Tom Moore, o veterano da II Guerra que aos 99 anos angariou 16 milhões de libras para o SNS britânico

Nascido em Keighley, Yorkshire, Tom Moore combateu no oitavo batalhão do Regimento do Duque de Wellington durante a II Guerra Mundial. Durante a guerra, serviu e lutou em Arracão, no Oeste da Birmânia, e foi para a Indonésia (ilha de Sumatra) após a rendição japonesa Nos últimos anos, Tom Moore tem recebido tratamento a um cancro da pele no SNS britânico. À BBC, o capitão disse que teve um “atendimento maravilhoso” e que aqueles profissionais merecem todo o apoio. Quanto ao esforço das suas caminhadas, Moore diz que o papel dos que estão na linha da frente no combate ao coronavírus é mais difícil e acrescenta que era importante ter um pensamento no futuro: “Tomorrow is a good day” (“Amanhã é um bom dia”).