Quase um mês depois de ter estado presente numa conferência de imprensa, o primeiro-ministro britânica está de volta. E para dar uma boa notícia: o Reino Unidos está “além do pico e numa curva descendente” e conseguiu evitar um cenário que previa 500 mil mortes.

Neste momento, posso afirmar que já passámos o pico e estamos numa curva descendente. E temos muitas razões para termos esperança a longo prazo. O Reino Unido está a liderar esforços internacionais para desenvolver uma vacina”, disse.

Boris Johnson, que regressa depois de ter estado internado por Covid-19 e depois de ter sido pai, adiantou ainda os números: o país registou mais 647 mortes nas últimas 24 horas, fazendo subir para 26.711 o total de vítimas mortais devido ao novo coronavírus.

O governante deixou também a garantia de que “em nenhum momento” o Serviço Nacional de Saúde (com a sigla NHS em inglês) foi “sobrecarregado”. “Nenhum paciente ficou sem ventilador, nenhum paciente foi privado dos cuidados intensivos”, disse acrescentando:

É graças a esse esforço coletivo e massivo para proteger o NHS que evitámos uma epidemia incontrolável e catastrófica, onde o pior cenário era de 500 mil mortes”.

Boris Johnson adiantou ainda que na próxima semana irá apresentar um plano que irá abranger três aspetos: “Como poderemos reiniciar a nossa economia, como poderemos levar as crianças de volta à escola e como nos podemos deslocar para o trabalho e tornar a nossa vida no trabalho segura. Em suma, como podemos continuar a combater a doença e, ao mesmo tempo, reiniciar a economia”.

Ainda assim, diz que o país terá de cumprir cinco requisitos: o NHS tem de ter capacidade para continuar a lidar com o surto e com “o desafio dos testes e dos cuidados intensivos”; tem se verificar uma queda nas mortes e na taxa de infeção; e o país deve conseguir garantir que não haverá um segundo pico que possa sobrecarregar o NHS.

Boris Johnson e a companheira, Carrie Symonds, anunciaram esta quarta-feira o nascimento do seu filho. O primeiro-ministro foi pai depois de ter estado internado por Covid-19, tendo mesmo passado pelos cuidados intensivos.

Boris Johnson agradece a enfermeiro português que esteve ao seu lado durante 48 horas