O Grupo Parpública teve lucros de 138,8 milhões de euros em 2019, quase o dobro dos 70 milhões de euros de 2018, divulgou em comunicado ao mercado.

No relatório e contas divulgado ao mercado, na quinta-feira ao final da noite, a Parpública disse que “o ano de 2019 foi globalmente bastante positivo”, com “todos os segmentos de atividade a apresentarem uma evolução positiva” pelo terceiro ano consecutivo.

Em 2019, o grupo reduziu a dívida financeira consolidada, sendo que no final de 2019 o endividamento das empresas do grupo situava-se em 3.421 milhões de euros, menos 830 milhões de euros face a 2018.

“Como é natural e vem acontecendo nos anos anteriores, a redução do endividamento ocorreu essencialmente na ‘holding’, cuja dívida financeira diminuiu 750 milhões de euros. Também as empresas do segmento das águas prosseguiram o seu esforço de redução da dívida, a qual registou uma quebra de 66 milhões de euros. Ainda assim, a dívida do grupo continua concentrada na Parpública e nas empresas do Grupo AdP”, lê-se no relatório e contas.

Já em comunicado de imprensa, o Grupo Parpública disse que o ano de 2019 “encerra um ciclo de três anos de desempenho fortemente positivo”, sendo que no total do triénio (2017-2019) os resultados consolidados do grupo foram de quase 370 milhões de euros.

A ‘holding’ Parpública SGPS, nas suas contas individuais, registou lucros superiores a 190 milhões de euros nos três anos (em 2019 a Parpública SGPS teve lucros de 23,3 milhões de euros).

O grupo destacou ainda que, entre 2017 e 2019, reduziu a sua dívida em 2,7 mil milhões de euros, cumprindo um objetivo da gestão da empresa.

Já o investimento público, no conjunto do grupo, ultrapassou os 162 milhões de euros em 2019, mais 3% do que em 2018.

O grupo destacou ainda que o investimento feito em 2019 foi mais do dobro do realizado em 2016, considerando que tal “torna visível a orientação de crescimento do grupo e o compromisso das empresas em sustentar a sua capacidade de criação de valor no futuro”.

A Parpública é uma sociedade gestora de participações sociais públicas.

No universo da Parpública estão, por exemplo, Águas de Portugal, Imprensa Nacional Casa da Moeda INCM), Simab (grupo de mercados abastecedores), Companhia das Lezírias (exploração agrícola) ou Baía do Tejo e Estamo (promoção imobiliária).

Detém ainda 50% da companhia aérea TAP, 44,89% do capital da distribuidora de papel Inapa e é acionista da petrolífera Galp (segundo maior acionista, a seguir à Amorim Energia, com mais de 7% do capital).

Ainda segundo o relatório e contas, a Parpública tem como principais fontes de rendimento os dividendos das empresas participadas e os juros dos empréstimos que lhes concede.