Um homem de 48 anos, de Penafiel, foi constituído arguido por posse de armas ilegais no decurso de uma ação da GNR desencadeada por uma denúncia de alegada violência doméstica, anunciou hoje a Guarda.

“No âmbito de uma denúncia, efetuada pela vítima, companheira do suspeito, uma mulher de 42 anos, de que estaria a ocorrer uma situação de violência doméstica, a GNR deslocou-se ao local e apurou que o suspeito possuía diverso material proibido na sua residência, tendo sido apreendido”, refere nota de imprensa daquela força policial.

Ainda segundo a GNR foi encontrado um revólver, de calibre desconhecido, uma espada, duas munições de calibre 9mm, oito munições de calibre 8mm, 10 munições de calibre 6,35mm, duas réplicas de arma de fogo, nomeadamente uma pistola e uma pistola metralhadora e seis carregadores.

Da situação de “violência doméstica nada foi presenciado e a vítima recebeu tratamento hospitalar no Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, em Penafiel”, acrescenta o documento.

O suspeito, sem antecedentes criminais, foi “constituído arguido por posse de armas ilegais e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Penafiel”, informa a nota de imprensa.