A CGTP saudou neste domingo o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, considerando que o combate às ‘fake news’ é “um dos grandes desafios para a democracia” e disse que continuará a denunciar a precariedade no setor e a defender melhores condições de trabalho.

Em comunicado, a CGTP saúda “o esforço de muitos jornalistas e de outros profissionais da comunicação social que, fiéis aos princípios éticos e deontológicos, não se deixam enveredar por outros interesses que não sejam os do jornalismo livre, isento, plural e objetivo, contribuindo para a elevação da consciência crítica e política dos cidadãos” e homenageia os profissionais que perderam a vida ou sofreram violência durante o exercício da sua profissão.

A CGTP considera que o combate à desinformação, às chamadas ‘fake news’, “representa um dos grandes desafios para a democracia”.

A Intersindical disse ainda que continuará a denunciar, no setor, a precariedade – “os contratos a prazo ou de prestação de serviços, os falsos recibos verdes, a utilização consecutiva de estagiários para ocupação de postos de trabalho permanentes” – e a defender a contratação coletiva de trabalho.

“A melhoria das condições de vida e de trabalho trará melhores condições às redações e reforçará a cobertura necessária à coesão social, territorial e nacional que urge refazer”, afirmou a CGTP.