O Grupo Volkswagen está apostado em massificar a venda de automóveis eléctricos, única forma de fazer reduzir os custos e, simultaneamente, aumentar as margens de lucro. Porém, falta-lhe uma marca low cost que permita propor automóveis eléctricos por 20.000€.

O CEO do grupo alemão já tinha anunciado que seria a Seat a desenvolver o veículo eléctrico pequeno e barato, que seria até produzido na China. Mas agora que se aproxima a sua chegada ao mercado, Herbert Diess, o responsável máximo do conglomerado germânico, colocou o construtor espanhol a tratar de outros projectos e parece não querer que este eléctrico acessível, eventualmente mais simples e com uma construção mais barata, possa beliscar a imagem da Volkswagen, Seat e Skoda.

O conglomerado germânico já oferece hoje um eléctrico por cerca de 20.000€, ou melhor, disponibiliza três: Volkswagen e-up!, Seat Mii Electric e Skoda Citigoe iV. Todos eles com cerca de 3,6 metros e uma bateria maior do que seria de supor (36,8 kWh), o que lhes garante uma surpreendente autonomia de 260 km. Porém, têm na base um modelo concebido para usar motores de combustão, que agora foi adaptado à locomoção eléctrica, sendo financeiramente mais interessante conceber um eléctrico de raiz. É aqui que pode surgir a nova marca low cost, para levar ainda mais longe as poupanças e a competitividade do veículo.