Dois agentes da PSP ficaram feridos depois de um incidente no Bairro do Pombal, em Oeiras, na madrugada desta segunda-feira, depois de cerca de 50 moradores terem investido contra os polícias durante uma detenção. A notícia foi avançada inicialmente pelo Jornal de Notícias e o Correio da Manhã, que revelaram que foram disparados tiros para o ar para dispersar a multidão, e confirmada ao Observador por fonte oficial do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

A origem deste desacato começou no restaurante McDonald’s de Oeiras com uma altercação entre três estafetas do serviço de entrega de comida Uber Eats e os passageiros de um carro que ali estava. Estes estafetas ficaram feridos e a PSP foi chamada ao local. Contudo, os agressores tinham-se posto em fuga.

Os agentes da PSP recolheram os depoimentos do estafetas, que tiveram de ir para o Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, e uma equipa de intervenção rápida percorreu as redondezas para encontrar o carro fugitivo. A viatura acabou por ser encontrada no Bairro do Pombal. Ao rondarem a viatura, os polícias acabaram por ser confrontados por um homem, de 35 anos, que correspondia à identificação feita pelos estafetas que tinham sido agredidos.

De acordo com o relato da PSP, o homem terá cuspido para cima dos polícias e tentado agredi-los. A detenção tornou-se inevitável, tendo vários moradores saído para a rua para investirem contra os oito polícias que estavam no local, enquanto outros arremessaram pedras contra os agentes. A PSP confirma que foi necessário utilizar tiros de borracha para dispersar a multidão, tendo mesmo sido utilizado um taser (uma arma elétrica de contenção) para imobilizar o homem que estava a ser detido e que continuava a resistir.

O conflito não parou e a PSP viu-se forçada a utilizar tiros de armas de fogo para tentar dispersar a multidão. A altercação acabou com dois agentes a serem levados para o Hospital São Francisco Xavier: um com um hematona no olho e outro devido a uma pedrada. O homem que foi detido foi igualmente levado para a mesma unidade hospitalar. Passado uma hora, todos tiveram alta do hospital.

O homem de 35 anos ficou detido para ser sujeito a interrogatório judicial e esta segunda-feira vão ser conhecidas as medidas de coação decretadas por um juiz de instrução criminal.