O parlamento dos Açores aprovou esta quarta-feira, por unanimidade, um projeto de resolução do PSD que recomenda ao Governo Regional a criação de um plano de recuperação para doentes com outras patologias que não a Covid-19.

Na apresentação da proposta, a deputada social-democrata Mónica Seidi lembrou que cirurgias, consultas, exames complementares de diagnóstico e terapêuticas foram adiadas devido à pandemia. “Apesar da prioridade dada ao combate à Covid-19, não podem ser menosprezadas outras patologias que até então estiveram acauteladas”, sustentou a parlamentar do PSD/Açores.

O Governo Regional, socialista, “deve promover o levantamento e elaboração de uma listagem de todos os casos prioritários e programados na região de cirurgias, consultas e exames complementares de diagnóstico e terapêutica que foram adiados” com a atual pandemia, instou Mónica Seidi.

A secretária com a tutela da Saúde, Teresa Luciano, declarou que o tempo atual é “de retoma” neste setor, lembrando, todavia, que “a atividade assistencial nunca foi suspensa” mesmo com a Covid-19. “Foram cancelados atos [médicos], sim, mas mantiveram-se os inadiáveis e urgentes”, acrescentou a governante.

O PS, partido que apoia o executivo regional, diz que o tempo tem de ser da “perda do medo dos utentes” em recorrer aos serviços de saúde.

Os hospitais e unidades de saúde não se fecharam sobre si. Não existem mais ou menos responsáveis, preocupados e interessados na normalização da atividade assistencial na prestação de cuidados de saúde”, acrescentou o parlamentar socialista Dionísio Faria e Maia.

À direita, o CDS, pela deputada Catarina Cabeceiras, lembrou que “outras patologias” que não a Covid-19 “não deixaram de existir” e que “de nada servirão as circulares que têm saído na tentativa de normalizar esta situação”, quando “na prática” há nos Açores “doentes sem cumprirem a calendarização dos seus tratamentos”. “Não podem os doentes não-Covid ficar sem os seus cuidados clínicos necessários” e estes não podem ser um “dano colateral” do combate à pandemia, acrescentou a parlamentar centrista.

Já o Bloco de Esquerda, pelo deputado Paulo Mendes, lamentou o “agravamento de situação de doenças não-Covid”, quer na prevenção quer no tratamento, ao passo que o PCP, pelo parlamentar único do partido no parlamento açoriano, João Paulo Corvelo, reclamou uma “coordenação exemplar” entre o Governo Regional e os hospitais e unidades de saúde das ilhas do arquipélago.

O plenário do parlamento dos Açores decorre por videoconferência.

Até ao momento, já foram detetados na região um total de 144 casos, verificando-se 64 recuperados, 14 óbitos e 66 casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença Covid-19.