A remuneração bruta mensal média por trabalhador (posto de trabalho) aumentou 3,2% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2019, para 1.189 euros, divulgou esta quinta-feira o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o mesmo sucedeu com a componente regular daquela remuneração, bem como com a remuneração base, que aumentaram 3,2% e atingiram, respetivamente 1.069 e 1.005 euros.

Estes resultados dizem respeito a cerca 4,2 milhões de postos de trabalho, correspondentes a beneficiários da Segurança Social e a subscritores da Caixa Geral de Aposentações.

Em termos reais, tendo em consideração a taxa de variação do Índice de Preços do Consumidor, no mesmo período, aquelas remunerações aumentaram 2,8%, sinaliza o INE.

Segundo o INE, a informação deste destaque não reflete ainda a situação atual determinada pela pandemia Covid-19, pelo que é possível que as tendências aqui analisadas se venham a alterar.

As remunerações médias variam substancialmente com a atividade económica. Em março, a remuneração total variava entre os 755 euros, nas atividades de agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca e os 2.975 euros, nas atividades da eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio.

Por dimensão, em março, a remuneração total variava entre os 782 euros nas empresas no escalão de 1 a 4 trabalhadores e 1.440 euros nas empresas com 500 e mais trabalhadores.