93 anos. Desde 1913 e até 2006, o Arsenal jogou no Arsenal Stadium. Um estádio com um nome algo redundante mas que nunca teve propriamente esse problema: afinal, o recinto onde chegaram a caber mais de 70 mil pessoas sempre foi e sempre será Highbury, o distrito do norte de Londres onde ficava e que acabou por batizar de forma não oficial o estádio. Foi naquela atmosfera, entre o sempre impecável relvado verde e a Clock End, a bancada Sul que tinha um imponente relógio, que o Arsenal foi campeão inglês em 13 ocasiões, que conquistou a extinta Taça dos Campeões Europeus em 1994 e que em 2004 se tornou a ainda única equipa a ganhar a Premier League sem sofrer qualquer derrota.

Ora, foi precisamente há 14 anos, no dia 7 de maio de 2006, que o Arsenal se despediu de Highbury. Na última jornada da Premier League da temporada 2005/06, os gunners recebiam o Wigan, que estava a meio da tabela, e estavam obrigados a vencer para garantir o último lugar de apuramento para a Liga dos Campeões do ano seguinte. O Chelsea de José Mourinho já era campeão, o Manchester United de Cristiano Ronaldo já era segundo, o Liverpool já tinha assegurado a presença no pódio e o Arsenal precisava dos três pontos para ficar à frente do eterno rival Tottenham e disputar a liga milionária em 2006/07. O jogo, além da despedida do estádio, marcava ainda o final da carreira de Dennis Bergkamp, o avançado holandês que hoje em dia tem uma estátua no recinto do clube.

Arsenal v Wigan Athletic

O último jogo, contra o Wigan, com a mítica Clock End em pano de fundo

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.