O funeral de um português de 51 anos na região da Dordonha, em França, levou à identificação de pelo menos seis novos casos de Covid-19 na região e à realização de mais de 100 testes, foi esta sexta-feira anunciado.

“Soube que aconteceu, mas não conheço bem a família. […] Sei que foram testadas mais ou menos 60 pessoas“, disse à Lusa João Carlos Sousa, presidente da associação portuguesa Lusitanos 24, com sede em Marsac sur L’Isle, na Dordonha.

O novo foco foi confirmado esta sexta-feira pela prefeitura da Dordonha e, segundo o jornal regional “SudOuest”, já foram testadas 103 pessoas, com pelo menos seis casos confirmados até agora. As autoridades sanitárias aguardam ainda os resultados de cerca de 60 testes.

Segundo o jornal, o possível contágio a larga escala deveu-se ao facto de no funeral na pequena cidade de Église-Neuve-de-Vergt terem estado presentes mais do que as 20 pessoas autorizadas neste tipo de celebrações durante a pandemia. Uma ideia reforçada pelos relatos da comunidade.

“Não se compreende que a pessoa que organizou o funeral tenha deixado entrar tanta gente, porque o limite para um funeral são 20 pessoas. E, segundo consta, era muito mais do que isso”, indicou João Carlos Sousa.

O dirigente associativo contou que terão estado presentes no funeral não só pessoas vindas da região, mas também vindas da Suíça e mesmo de Portugal.

Acorrem à Dordonha anualmente muitos portugueses para a apanha sazonal do morango e, apesar das restrições impostas nas fronteiras devido à Covid-19, este ano não foi exceção. Algo que surpreendeu João Carlos Sousa.

“Nesta altura vêm muitos portugueses de Viseu e de Vila Real para a apanha do morango e este ano também vieram. Não compreendo como conseguiram passar porque supostamente não se podia. Ninguém teve controlo, nem problema nenhum a chegar a França”, relatou o português.

Esta região apresenta um baixo nível de propagação do vírus e foi classificada esta semana como verde pelas autoridades francesas, permitindo assim um desconfinamento com menos restrições a partir de dia 11 de maio.

A região conta com cerca de 3.000 portugueses e lusodescendentes, e a comunidade está envolvida nos esforços de luta contra o vírus, com a associação Lusitanos 24 a distribuir no sábado mais de 100 máscaras em tecido e 100 máscaras cirúrgicas junto ao mercado Olá Portugal.