A Bugatti produz modelos fantásticos, mas o mais sofisticado e atraente é muito provavelmente o Divo. Na essência, trata-se de um Chiron, mas com uma roupagem mais atraente e agressiva, associada a infinitas possibilidades de personalização. Como que para justificar os 5 milhões de euros exigidos pelo fabricante, ou seja, o dobro de um Chiron.

O motor continua a ser o 16 cilindros arrumados de forma a formar um W, com 8 litros de capacidade e 1500 cv, conseguidos à custa do ar sob pressão fornecido por quatro turbocompressores. A potência é depois distribuída pelas quatro rodas, com com o Divo a estar limitado a 380 km/h, devido ao maior apoio aerodinâmico, mas continuando a conseguir ir de 0 a 100 km/h em somente 2,4 segundos.

Esqueça o castelo: quantos milhões estão na foto?

A primeira vez que o Divo foi revelado ao público foi em 2018, durante o Pebble Beach Concours d’Elegance, e desde logo foram anunciadas apenas 40 unidades. Entre outros motivos, pela complexidade do sistema de personalização, o que limita a produção. Desta vez, a Bugatti juntou alguns detalhes para nos ajudar a perceber melhor a que se referia quando falava em “complexidade”.

Ao contrário do que acontece no Chiron, cada cliente do Divo é convidado a visitar a fábrica – o termo correcto será mais próximo de mansão –, onde é desafiado a definir todos os pormenores dos acabamentos do exuberante desportivo. E há clientes que levam este desafio à letra, fazendo questão em escolher cores tão específicas que, de acordo com a marca, tardam vários meses a conseguir.

Mas a pintura exterior não é a maior dor de cabeça para os técnicos da Bugatti. Mais complexo é acomodar todas as exigências de alguns proprietários, dos que escolhem um tipo de pele para revestir o habitáculo que condiga com uns determinados sapatos, mala ou o que quer que seja, dependendo da criatividade da pessoa em causa. Há ainda os que querem os assentos bordados com o emblema do clube de futebol, o brasão da família, focinho do cão ou pegadas dos filhos. Segundo o fabricante, o cliente mais exigente obrigou os técnicos a assisti-lo na configuração do Divo durante quase um ano.

Contudo, nem todos os clientes são tão difíceis de satisfazer, daí que a Bugatti tenha avançado com as decorações exteriores e interiores de quatro Divo distintos, quaisquer deles bastante apelativos. A marca aproveita ainda para revelar que as decorações mais estranhas e vistosas vêm de clientes americanos e árabes, com os europeus a serem mais discretos, tanto no exterior como no interior.