As marcas que até aqui emocionavam os seus clientes com modelos mais agressivos, potentes e rápidos, mercê de mecânicas alimentadas por combustíveis fósseis, têm de necessariamente produzir o mesmo tipo de veículos com motores eléctricos alimentados por bateria. E têm porque, a partir do momento que um avance nesta direcção, é impensável os restantes não acompanharem o movimento, ficando para trás nesta batalha pela liderança tecnológica.

A BMW anunciou recentemente que o híbrido i8 não iria ser substituído, dando a entender que o seu lugar na gama poderia ser ocupado pelo M Next, um desportivo de dois lugares similar ao i8, mas alimentado exclusivamente por bateria.

É oficial: BMW i8 termina produção em Abril

Este M Next estaria destinado a bater-se não com o Rimac C_Two ou o Pininfarina Battista (que recorre à mesma base do desportivo croata), pois estes são de momento os Bugatti e Koenigsegg dos eléctricos, mas sim com o Tesla Roadster e concorrentes directos que fabricantes como a Audi, Mercedes e Porsche não deixarão de apresentar.

Mas este superdesportivo eléctrico pode não vir a acontecer pois, segundo o BMW Blog e a publicação alemã Manager-Magazin, a marca terá decidido abandonar ou suspender o projecto. A BMW não tornou pública a resolução, sendo provável que a pandemia da Covid-19 tenha grande parte da responsabilidade na decisão.