Primeiro, foi o papel higiénico, que desencadeou uma caça mais viral que o próprio vírus. Depois, com os ânimos mais serenados e a resignação face ao confinamento, assistimos a nova febre — que mais uma vez não era sintoma de Covid-19: chegara a vez dos padeiros domésticos mostrarem o que valem, com as manobras a terminarem no forno e com os stocks de farinha e fermento esgotados em muitas prateleiras de supermercado. Agora, aquela que ficou cunhada como “pãodemia” assume um novo grau de dificuldade e dedicação, que entretanto pintou o Instagram de todas as cores.

É por aqui que vão florescendo os resultados da confeção de #gardenfocaccia, neste caso focaccias que mais parecem verdadeiros jardins ou telas ilustradas, uma tendência que começou a ganhar força durante o mês de abril, como narrava o The New York Times, apelando aos dotes de decoração da cada cozinheiro, mas que na verdade firmou raízes ainda em fevereiro.

Terry Culletto, ou Vineyard Baker, trabalha a partir de Massachusetts © vineyardbaker

Quando dizemos que alguns destas variedades de pão concorrem com quadros famosos, a comparação é mais que justa. Afinal, há mesmo quem pisque o olho aos girassóis de Van Gogh ou outros motivos à altura desta “foccacia art”, como também lhe chamam todos aqueles para quem a simples versão com azeite e alecrim é demasiado minimalista para brilhar online ou à mesa.

Para seguir as receitas e a impressionante perícia da padeira Teri Culletto, pode acompanhar as suas criações no seu Vineyard Baker, mas prevenimos que a missão é tão cirúrgica que poderá ser necessário o recurso a pinças, entre um festim de ervas frescas, alcaparras, azeitonas, milho e outros elementos que exigem precisão.

View this post on Instagram

Ciao ragazzi! un video dove spiego la realizzazione della focaccia decorata. Per qualunque consiglio rispondo alle vostre domande. Questi sono gli ingredienti per realizzare l’impasto della focaccia: 480 g di farina 0 12 g di lievito di birra fresco 15 g di zucchero 200 g di acqua 145 g di latte 40 g di olio d’oliva 12 g di sale fino Procedimento: Inserire in una ciotola capiente la farina, lo zucchero e il lievito ed amalgamarli bene. Versare a filo il latte, l’acqua e infine l’olio. Impastare il tutto fino a quando non avrà preso consistenza. Versare infine il sale e continuare ad impastare per una decina di minuti. L’impasto è molto idratato. Trasferite il composto su un piano infarinato e dare un paio di pieghe. Mettere l’impasto in una ciotola, coprire con pellicola trasparente e lasciar lievitare in un luogo caldo per almeno 3 ore. A lievitazione avvenuta, stendere l’impasto su una placca da forno con le mani ben unte di olio. Ora che la base è pronta, arriva la parte più divertente e fantasiosa: decorare la focaccia creando dei fiori o altri disegni con l’ausilio di datterini, peperoni, olive, erba cipollina, capperi, foglioline di basilico, cipolla di Tropea e qualsiasi altro ingrediente vi venga in mente. Cuocere in forno statico a 180 gradi per 35-40 minuti. #breadart #panedecorato #focaccia #lovecooking #breadbaker #artisanbread #pane #panefattoincasa #artista #pane #arte #bread #art #homemadebread #baker #tutorial #foodphotography #instafood #foodporn #breadlover #focacciafattaincasa #cooking #lucele #breadmaking #focacciagarden #popular #galleries #recipe

A post shared by LUCELE ???? (@lucele_foodandwine) on

Se os olhos saboreiam antes da boca, não há como não dar atenção ao detalhe que cada um destes exemplares exibe. De resto, o interesse de Culletto é bem anterior a quarentenas: foi em 2018 que começou a estudar as origens da foccacia. Uma inspiradora visita ao Museum of Fine Arts de Boston fez o resto. Mas por estes dias, não falta quem tente seguir as pisadas. Ah, e se prefere Miró ao génio holandês, nada tema. Basta conferir o vídeo em cima para mais uma ilustrada dentada em breadart–ou pelo menos ficar de boca aberta com a imagem final. A assinatura pertence a Eleonora, especialista em #breadart e consultora de vinhos.

Se o seu prato prefere o pão de forma, sobretudo tostado e ao pequeno-almoço, uma designer japonesa, Manami Sasaki, também pensou no seu caso. Falta saber se terá coragem de devorar o repasto depois de olhar bem para elas.

A italiana Ivonne, aka fiabe_di_frolla, mostra o que vale a contar histórias que vão ao forno © Instagram fiabe_di_frolla

Não aprecia a jardinagem? E que tal saltar diretamente para os contos infantis? Não demora muito até percebermos que moda conhece uma série de ramificações possíveis, com as investidas sobre o pão a passarem até, imagine-se, pela recriação da saga do Capuchinho Vermelho e do Lobo Mau. A partir daqui, podemos considerar que o pão é mesmo o limite. Tudo o que precisa é de uma receita básica e uma imagem para replicar, se o seu desejo de replicação chegar a esse pormenor. Caso não, use a abuse da sua imaginação.

© Instagram Alexandra Palla

Para uma versão mais monocromática e clean, espreite o que a food blogger Alexandra Palla anda a fazer, que também não demorou a responder ao desafio estimulado pelo The New York Times. Um pouco por todo o mundo, a pergunta é inevitável e a resposta parece relativamente fácil: serão estas foccacias ajardinadas os novos banana bread, outro passatempo doméstico que encheu as redes nas últimas semanas? Fama pelo menos têm, proveito esperamos que também.