Um padre de Ourém está a celebrar missas comunitárias, com a presença de fiéis na igreja, apesar de as celebrações estarem suspensas até ao final do mês. A história foi avançada pelo Notícias de Leiria e, à Rádio Observador, o padre João Pina Pedro, da localidade de Urqueira, confirmou que tem celebrado missas com fiéis, sem o uso obrigatório de máscara e com comunhão.

Em declarações à Rádio Observador, o sacerdote da Diocese de Leiria-Fátima explicou que esteve “cerca de um mês a celebrar missas sozinho, sem ninguém” mas decidiu questionar o vigário da Diocese quando viu “nas redes sociais, vários padres que estavam acompanhados por acólitos, cantores e organistas”. “O vigário disse-me que podia [celebrar] desde que não superasse as 10 pessoas e tomasse as medidas de precaução necessárias”, disse o pároco de Urqueira, que confirma que está a dar a comunhão durante as missas mas “de acordo com as normas que a Diocese já tinha enviado antes do estado de emergência”, ou seja, com a colocação da hóstia exclusivamente na mão dos fiéis e não diretamente na boca. Quanto à utilização de máscara, o padre João Pina Pedro garante que os fiéis usam, embora reconheça que alguns poderão não a ter utilizado “uma vez ou outra”. Já o próprio sacerdote, “por enquanto”, não usa máscara.

Máscara obrigatória, menos fiéis e regras afixadas à entrada. Os detalhes do regresso das missas a partir de 30 de maio

Para além de reafirmar que teve autorização da Diocese, o sacerdote diz que não é o único a celebrar missas com a presença de fiéis nas igrejas. “Está a acontecer em várias paróquias. Vários padres estão a celebrar missas para 10 pessoas, como na Sertã”, diz o pároco de Urqueira, que garante que “não está impedida” a celebração de missas para um máximo de 10 pessoas “desde que a igreja em questão tenha 100 metros quadrados”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No que toca às celebrações do 13 de maio, esta quarta-feira, o padre João Pina Pedro garante que vai “apenas rezar à distância” e que não vai “fazer nada de especial” na Igreja da Nossa Senhora da Piedade, em Urqueira. E comentou ainda a decisão da Igreja Católica e do Santuário de Fátima de realizarem as cerimónias sem a presença de fiéis, acrescentando que “com alguma criatividade e algum engenho” poderia ter sido possível manter as celebrações com pessoas no santuário. “Encaro tudo isto com alguma tristeza. A nível civil, têm acontecido várias comemorações. Mas respeito as indicações da Diocese e dos nossos bispos. Acho que desde que fossem tomadas precauções não haveria problema. Com alguma criatividade e algum engenho teria sido possível, como fazer entradas por inscrição, com os guardas a controlar entradas. Em vez de 100 mil pessoas, estavam 20 mil”, concluiu o padre, em conversa com a Rádio Observador, esta segunda-feira.

[Ouça aqui, na íntegra, a entrevista do padre João Pina Pedro à Rádio Observador]

Padre João Pina Pedro celebra missas com fiéis. “Não uso máscara”

Segundo o Notícias de Leiria, o sacerdote da Diocese de Leiria-Fátima já havia confirmado a celebração das missas num grupo de Facebook da localidade de Urqueira e foi recebido com críticas devido ao desrespeito pelas normas delineadas pelo Governo e pela Direção-Geral da Saúde. O padre João Pina Pedro, porém, garantiu aí também que tem autorização da Diocese para “celebrar com um número reduzido de pessoas, desde que se respeitem as regras de saúde pública, nomeadamente o distanciamento necessário”. Na mesma publicação na rede social, o pároco de Urqueira refere ainda que “numa das missas, há uns dias, até esteve presente um casal amigo, em que ele é comandante da GNR e ela é profissional de saúde”. No fim de semana passado, a missa foi transmitida em direto através da página pessoal do sacerdote no Facebook e é possível perceber que estavam pessoas na assembleia.

https://www.facebook.com/pjoao.pedro/videos/2766041460291042

De recordar que, de acordo com as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa, que respeita as indicações do Governo e da DGS, foi determinado que “os sacerdotes suspendam a celebração comunitária da Santa Missa até ser superada a atual situação de emergência”, uma proibição que, à partida, vai manter-se em vigor até ao dia 30 de maio.

Esta não é a primeira vez, porém, que o pároco de Urqueira se mostra contra a suspensão das missas. Há cerca de dois meses, por altura do anúncio da decisão, o padre João Pina Pedro defendeu que aconteceu na Igreja Católica portuguesa “algo verdadeiramente impensável, altamente lamentável, no mínimo muito triste e sem precedentes em toda a história da Igreja, que foi a suspensão das santas missas comunitárias”.

As recomendações da Conferência Episcopal no regresso às igrejas: confissões à distância, casamentos após setembro, batismos com “cautelas”

Na altura, mereceu uma resposta por parte do Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, que recordou que a “medida extrema do cancelamento das missas comunitárias foi tomada por muitas conferências episcopais e pelo próprio Papa, não por se considerar ‘irrelevante’ a eucaristia, mas por exigência de saúde pública para salvar pessoas da doença e da morte por causa do contágio nos grupos de pessoas”.