O ID.3, que na prática é um automóvel do mesmo segmento do Volkswagen Golf, mas eléctrico, está em produção desde Novembro de 2019 e vai chegar ao mercado a 17 de Junho. Felizmente, parece que o processo vai ser mais rápido em relação ao ID.4, o SUV maior mas concebido sobre a mesma base (a plataforma MEB), pois a produção já se iniciou e as primeiras entregas estão agendadas ainda para 2020.

Ao contrário do ID.3, que visa exclusivamente a Europa, o ID.4 será fabricado na Europa, nos Estados Unidos da América e na China, sendo destinado aos respectivos continentes. A plataforma é a mesma, o que significa que será originalmente um modelo com tracção traseira, que também pode ter tracção integral, sempre que montar um motor em cada um dos eixos, o que permitirá acesso a mais potência, além de melhores atributos para circular em zonas com piso escorregadio.

A carroçaria baseia-se no protótipo ID. Crozz, mas com grandes alterações, pois enquanto este era maior e possuía linhas de SUV coupé, o ID.4 está mais próximo do espaço que hoje oferece um Tiguan. Ou talvez vá um pouco mais longe, uma vez que com 4,6 metros de comprimento e uma frente mais curta deverá ter um habitáculo mais generoso.

As baterias são as mesmas do ID.3, mas o SUV eléctrico deverá oferecer apenas 55, 62 e 82 kWh, as mesmas do Skoda Enyaq iV, com versões 4×2 e 4×4, tal como hoje já acontece com o Tiguan.

Se o ID.3 promete preços na casa dos 30.000€, por essa Europa fora, o ID.4 deverá ir um pouco mais longe, rumo aos 40.000€, o que facilmente se explica pelo facto de ser maior (4,63 m contra 4,26 m) e de não recorrer à bateria com menor capacidade, aquela com 45 kWh.