O Presidente norte-americano admitiu a possibilidade de vir a limitar os seus contactos com o vice-Presidente, o qual estará em quarentena, depois de ter sido detetado um caso do novo coronavírus entre os seus colaboradores.

Interrogado durante uma conferência de imprensa sobre medidas para limitar os seus contactos de maneira preventiva, Donald Trump respondeu: “É uma coisa sobre a qual é provável que falemos, durante este período de quarentena”. Trump assegurou que vai falar com Mike Pence, especificando: “Podemos falar ao telefone”.

Pence, que estava encarregado de dirigir a célula de crise na Casa Branca para lutar contra a pandemia, não esteve presente na conferência de imprensa.

O novo coronavirus fez oficialmente a sua entrada há alguns dias no centro do poder executivo dos EUA, com a porta-voz de Pence, Katie Miller, a testar positivo no passado fim de semana, tal como um militar ao serviço do Presidente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Nunca mais o vi desde então”, disse Trump, a propósito de Pence.

No domingo, a Casa Branca desmentiu qualquer medida de confinamento relativa ao vice-Presidente.

Três outros membros da célula de crise colocaram-se em auto-isolamento, de forma preventiva: o epidemiologista Anthony Fauci, o diretor dos Centros de Prevenção e Luta Contra as Doenças, Robert Redfield, e o diretor da agência de controlo da qualidade da alimentação e dos medicamentos, Stephen Hahn.

Esta situação acontece quando, de forma paradoxal, a Casa Branca insiste na necessidade de reabrir a economia e garante que é seguro voltar ao trabalho.