O Banco Nacional Ultramarino (BNU) em Macau registou, no primeiro trimestre do ano, lucros de 138 milhões de patacas (cerca de 16 milhões de euros), uma queda de 25% face aos resultados do período homólogo de 2019. Os resultados foram divulgados esta quarta-feira em Boletim Oficial.

Nos três primeiros meses de 2019, o banco tinha registado lucros de 183,3 milhões de patacas (cerca de 21 milhões de euros), mais 45,3 milhões de patacas (5,2 milhões de euros) do que o registado no primeiro trimestre de 2020.

Em entrevista à Lusa, no dia 26 de março, o presidente do BNU em Macau tinha dito que os resultados da instituição podiam cair este ano, entre 10% e 20% devido ao impacto económico da pandemia da Covid-19.

No ano passado o crescimento foi de 24%, o que foi bastante interessante. Acredito que este ano os resultados do banco possam cair entre os 10 e os 20%”, afirmou Carlos Álvares, líder da instituição que pertence ao Grupo Caixa Geral de Depósitos.

O BNU é, juntamente com o Banco da China, banco emissor de moeda em Macau, e conta atualmente com 20 agências, incluindo uma na ilha da Montanha, em Zhuhai, cidade chinesa adjacente ao território.

O BNU em Macau registou em 2019 lucros de 721,9 milhões de patacas (cerca de 83 milhões de euros), de acordo com o balancete publicado no Boletim Oficial, um aumento de cerca de 23% em relação a 2018.