Joe Biden e Donald Trump venceram, respetivamente, as primárias dos partidos democrata e republicano esta terça-feira no estado norte-americano do Nebraska, numa eleição que registou recordes de abstenção por causa da pandemia da Covid-19.

Estas foram as primeiras primárias com voto presencial desde as eleições no Wisconsin, há cinco semanas, em plena pandemia.

Apesar de a deslocação às urnas ter sido autorizada, após as críticas à votação presencial nas primárias no Wisconsin, a abstenção atingiu recordes, tendo sido registados 400 mil votos por correspondência, segundo números divulgados pela Associated Press (AP).

As autoridades tinham encorajado os eleitores a recorrerem ao voto por correspondência, apesar de o governador republicano do Nebraska, Pete Rickets, e o secretário de Estado, Bob Evnen, terem insistido na realização de eleições presenciais, numa altura em que muitos estados norte-americanos optaram por adiar as eleições ou recorrer ao voto por correspondência.

Apenas cinco estados têm legislação que permite a realização de eleições totalmente por correspondência: Colorado, Havai, Oregon, Washington e Utah, mas nenhum deles alguma vez testou este modelo no meio de uma pandemia.

Depois do abandono da corrida eleitoral por parte do senador Bernie Sanders, Joe Biden, ex-vice-Presidente dos EUA, é o candidato único à Casa Branca do lado democrata, devendo ser o rival do republicano Donald Trump, atual Presidente, que se recandidata a um segundo mandato.