O concerto dos norte-americanos Slipknot em Portugal, marcado para agosto, em Lisboa, foi cancelado, visto que a digressão deste ano da banda não vai acontecer, foi esta quarta-feira anunciado.

A digressão deste ano dos Slipknot, que incluía um concerto em 17 de agosto na Altice Arena, “infelizmente não irá acontecer”, refere a promotora Everything is New, numa nota publicada pelas 18h desta quarta-feira nas suas páginas oficiais nas redes sociais, acrescentando que “banda espera regressar aos palcos e estar com os seus fãs quando a segurança de todos estiver garantida“.

A promotora esclarece que “todos os portadores de bilhetes para o espetáculo, poderão solicitar o reembolso, no prazo máximo de 60 dias úteis, a partir de segunda-feira, dia 18 de maio, no respetivo local ou website de compra”.

A banda de Corey Taylor deveria regressar a Lisboa ainda com o disco “We Are Not Your Kind”, que apresentou no ano passado também na Altice Arena, sabendo-se que, no contexto da digressão, deveria ser editado o álbum “Look Outside Your Window”, de temas experimentais gravados em 2008 e que o vocalista já disse soarem “como Radiohead”.

No ano passado, os Slipknot atuaram em Lisboa no contexto do VOA — Heavy Rock Festival, que esteve previsto para o Estádio do Restelo, mas acabou por se realizar na Altice Arena.

Nos últimos meses, várias bandas e artistas têm cancelado as digressões devido à pandemia da Covid-19

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 292 mil mortos e infetou mais de 4,2 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Em Portugal, morreram 1.175 pessoas das 28.132 confirmadas como infetadas, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, vários países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.