O ministro interino do Interior timorense disse esta quarta-feira que não há qualquer impedimento para que as pessoas se exercitem sozinhas na rua durante o estado de emergência declarado pela Covid-19, desde que cumpram as regras sanitárias.

Filomeno Paixão comentava relatos de vários residentes em Díli, à agência Lusa, de que agentes da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) estão impedir que as pessoas corram na rua, mesmo que sozinhas.

O ministro disse à Lusa que não é proibido correr ou fazer outros exercícios individuais e que as regras “são bem claras e que foram comunicadas detalhadamente à PNTL”.

Não sei porque andam a fazer isso, a impedir as pessoas de correr na rua. Não vejo por que é que a polícia tem de atuar assim. É necessário apenas conservar o distanciamento e usar máscaras, mas mais nada fora disso”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Da nossa parte não houve instruções nenhumas nesse sentido. Houve um despacho do ministro para a PNTL e está tudo esclarecido. O decreto até foi traduzido em tétum para não haver equívocos”, comentou.

Vários residentes da capital contaram à Lusa que nos últimos dias foram parados por agentes da PNTL quando estavam a correr, sozinhos, ao longo da costa em vários pontos da cidade.

“Estava sozinha e fui parada e foi-me dito que não podia fazer desporto nenhum”, disse à Lusa uma residente que foi mandada parar esta semana na Avenida de Portugal, a zona das embaixadas de Díli.

Um outro residente, na zona de Metiaut, no leste da cidade, descreveu ações idênticas de agentes da PNTL que o impediram de correr, sozinho, como faz diariamente.

Agentes da PNTL que estavam esta quarta-feira na Avenida de Portugal em patrulha, e que interpelaram algumas pessoas, explicaram à Lusa que não se tratava de impedir as pessoas de correr sozinhas, mas apenas de “evitarem aglomerações ou de realizar desporto em grupo”.

O decreto de medidas do estado de emergência, em vigor até ao final do mês, proíbe apenas a “realização de quaisquer eventos (…) desportivos que impliquem a aglomeração de pessoas”, mas não refere desportos individuais, como jogging ou corrida.

A ação da PNTL ocorre numa altura em que o movimento na capital timorense aumentou significativamente, com muitas pessoas a fazerem jogging ou a passear, muitos sem máscaras e sem respeitar o distanciamento social, previstas no decreto do estado de emergência.

Rui Araújo, porta-voz do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC) apelou esta quarta-feira à população para “cooperar” com o Governo na atual fase 3, de mitigação, continuando a cumprir as regras de distanciamento social e a evitar sair de casa se não for necessário.

Timor-Leste tem atualmente cinco casos ativos de Covid-19.