Uma advogada do Porto está acusada e pronunciada por burlas de 91 mil euros a um empresário, num processo já enviado para julgamento no tribunal criminal do Bolhão, naquela cidade, disse esta quinta-feira fonte judicial.

Segundo o Ministério Público (MP), a advogada convenceu o cliente a entregar-lhe dinheiro para comprar, abaixo do valor real, três terrenos alegadamente penhorados ao Fisco. Na realidade, as propriedades tinham outros donos e não estavam sob qualquer penhora.

O empresário, que entregara à advogada parcelas de 31 mil, 35 mil e 25 mil euros para os supostos negócios, descobriu que foi ludibriado porque nunca foi chamado para celebrar as escrituras, nem nunca lhe foi devolvido o dinheiro.

Em causa estão dois terrenos em Matosinhos e um terceiro na Maia.

A advogada requereu a instrução do processo, sem conseguir evitar a ida a julgamento.

O Tribunal de Instrução Criminal ratificou a conclusão do MP de que a advogada encenou os negócios.